Prefeito de Campos dos Goytacazes/RJ dialoga com o movimento da economia solidária

segunda-feira, 17 de abril de 2017


Início > Notícias > Prefeito de Campos dos Goytacazes/RJ dialoga com o movimento da economia solidária


Ocorreu hoje (17/04), no gabinete do prefeito Rafael Diniz, reunião com os integrantes de diversos setores do movimento Economia Solidária. O grupo busca apoio a demandas que, de acordo com os representantes, não estariam sendo atendidas desde a gestão passada, a partir da aprovação da Lei Nº 8.717, de 10 de agosto de 2016, que trata do assunto.

Foram apresentadas 7 (sete) demandas ao prefeito municipal:

1) Definição de setor específico de gestão para a economia solidária na estrutura da prefeitura municipal, com gestão compartilhada a secretaria de Desenvolvimento Econômico, atual organizadora da pauta.

2) Implantação do Conselho Municipal de Economia Solidária, anexada chamada de conferência municipal para fomentar a construção participativa;

3) A indicação pelo Movimento da Economia Solidária de 4 membros titulares e suplentes para o conselho municipal;

4) criação do Sistema Municipal de identificação de trabalhadores e gerenciamento da economia solidária;

5) Criação grupo de trabalho intersecretarial, para que juntamente com o movimento pactue um Plano Emergencial que estimule o desenvolvimento da produção e comercialização dos trabalhadores;

6) Apoio a criação do banco comunitário com moeda social eletrônica do banco Palmas;

7) Nova negociação com as cooperativas de reciclagem e cumprimento do contrato.

Na ocasião Nilza Portela Franco, assessora do Fórum de Economia Solidária de Campos dos Goytacazes/RJ, apresentou a dificuldade do coletivo local em busca de soluções práticas.

Desde setembro do ano passado defendemos o avanço nas políticas públicas que não vieram depois da aprovação da Lei na Câmara de Vereadores, em 2016. Temos cerca de 40 mil trabalhadores inseridos no perfil de Economia Solidária, mas há muita carência, em especial no que diz respeito à Logística Coletiva.  

É trágico o que aconteceu no governo anterior, pois a própria lei prevê “ações transversais” na integração dos setores produtivos, com base na cooperação e sustentabilidade. Precisamos de ações que aproximem os trabalhadores, que agreguem esses setores.
Nilza Portela Franco
O prefeito mostrou-se solicito em ajudar, e disponibilizou a secretaria de Desenvolvimento Econômico, superintendência de Planejamento para o trabalho conjunto com o grupo de Economia Solidária no levantamento das demandas e na resolução do que for possível. Segundo Rafael Diniz com o trabalho iniciado novas secretarias municipais poderão ser acionadas para um atendimento cada vez mais organizado e integrado.
Esse diálogo é muito importante, pois queremos avançar. Temos que ouvir vocês para, juntos, vermos o que pode ser feito. Nunca esperem de mim promessas daquilo que não posso cumprir, mas estarei sempre disposto a ouvir a todos para buscarmos as soluções.

Devemos ter o cuidado para, ao atendermos um setor, não prejudicarmos outro.
Prefeito Rafael Diniz
A Ecoanzol na pessoa da Diretora Luiza F. Salles esteve presente na reunião, junto a Sandro Cesário, assessor técnico do Instituto Solar Brasil de Desenvolvimento Saúde e Pesquisa (Isobras); Rozane Mastiere, representante do segmento do Artesanato; Ailton Arruda, representante dos assentamentos rurais; Enilson do Espírito Santo, representante do segmento da pesca artesanal; Vanilce Xaviera, representante do assentamento de Baixa Grande; e Eliana Manhães, representante do assentamento Zumbi dos Palmares núcleo 4.

Mais fotos:






.
Ação componente do eixo de ação
ECONOMIA COLABORATIVA
.
.
NÓS
CONTRIBUIMOS!
.

Créditos 
Texto de apoio por Edson Cordeiro (http://www.campos.rj.gov.br/)
Manifesto do Movimento Organizado de Economia Solidária
Fotos por Rafael Peixoto
Edição final por Marcelo dos Santos Ferreira

--

Nenhum comentário :

Postar um comentário